As Pulgas são insetos que possuem como característica principal pernas musculosas e fortes que permitem que ela atinja de 17 a 20 cm em pulos verticais e 35 a 40 cm em sentido horizontal, rodopiando do ar para o solo, com as garras em forma de gancho prontas para se grudarem na pele, possui um aparelho bucal sugador que penetra na pele de seu hospedeiro para se alimentar de sangue. Como o mosquito, elas cortam a pele e injetam sua saliva anticoagulante no sangue para mantê-lo fluindo. Dessa forma, transmitem microrganismos de um animal a outro, espalhando doenças. As pulgas após cada refeição colocam de 4 a 8 ovos, que chegam a somar algumas centenas durante toda a sua vida.

É sempre uma desagradável surpresa descobrirmos que temos pulgas em casa. Em residências onde o animal de estimação passeia pela rua isto é normal. É quase impossível realizar um passeio pelas calçadas, praças, e canteiros, sem que o animal volte sem uma pulga para casa. Esta pulga vai por ovos e outras pulgas nascerão, dando início ao problema. Normalmente a infestação não evolui devido aos procedimentos de limpeza adotados, que vão eliminando os insetos, e ao fato que os animais são os alvos preferências, nos poupando de suas picadas.

O ciclo biológico da pulga se divide em cinco estágios: pulga adulta, ovo, larva, pupa e ninfa. A duração dos estágios de desenvolvimento depende da temperatura, umidade relativa e da disponibilidade local de alimento. Esse parasita se desenvolve melhor em ambientes úmidos (80% de umidade) e quentes (27º C).

A pulga adulta se alimenta de sangue e pode sobreviver até 1 ano fora do corpo do animal. As fêmeas da pulga põem de 6 a 8 ovos por vez, podendo chegar a um total de 400 a 500 ovos. A postura dos ovos se dá no animal e no ambiente.

Os ovos não são visíveis a olho nu, são resistentes a secas, altas temperaturas e produtos químicos e permanecem em incubação de 2 a 12 dias. Dos ovos nascem as larvas, que são muito pequenas e se escondem em locais inacessíveis à limpeza. Permanecem neste estágio de 9 a 20 dias e passam por 3 fases evolutivas. Passam depois à pupa, permanecendo de 7 dias a 1 ano nesta fase, dependendo da temperatura ambiente. A ninfa é a fase intermediária entre pupa e pulga jovem. Com o rompimento do casulo, origina-se uma pulga jovem que irá se alimentar de sangue quente do hospedeiro, completando o ciclo biológico. O ciclo de vida se dá 95% no ambiente (não visível a olho nu) e apenas 5% no animal

A eclosão para a forma adulta somente se faz se houver vibrações que irão “despertá-la” da forma pupal. Esta é a razão pela qual observamos uma grande e súbita população de pulgas aparecer em local que estava fechado durante certo tempo e ocasionalmente habitado por um animal. As vibrações dos passos de pessoas ao entrarem neste local são suficientes para desencadear o nascimento de uma grande quantidade de pulgas.

Uma espécie em particular, a Xenopsylla Cheops, é o vetor da peste bubônica ou peste negra, que ainda tem vitimado muitas pessoas em todo o mundo, utilizando o rato como seu hospedeiro. O relacionamento existente entre a pulga, o rato, e a transmissão da peste bubônica, deve ser levado em consideração.

Procedimento preventivo contra os riscos desta doença consiste na aplicação de inseticidas por empresa especializada no Controle de Pragas Urbanas, certificadas pela Vigilância Sanitária, não somente contra as Pulgas, mas também contra os Ratos.

FONTES: www.fiocruz.com.br e www.usp.br/pesquisa