Os escorpiões, dentre os aracnídeos, são os que mais causam acidentes com os humanos. Os escorpiões são aracnídeos de oito patas que fazem parte de um grupo maior, os artrópodes (patas articuladas). Esse grupo abrange os insetos (formigas, baratas), aracnídeos, crustáceos (camarão, caranguejo), quilópodes (lacraia), diplópodes (piolho de cobra).

O Escorpião percebe o meio ambiente através de uma estrutura chamada pente, localizada na parte ventral do tórax, que permite ao escorpião tatear o solo para sentir as vibrações de sua presa. Se a presa, normalmente inseto, for difícil de imobilizar, o escorpião utiliza seu aguilhão para injetar veneno e paralisar o animal. Ele pode usar essa estrutura para se defender, por isso são frequentes os acidentes com humanos. Todo escorpião produz veneno, mas nem todo veneno é poderoso para afetar uma pessoa. Alguns têm efeito apenas nas presas desses animais. De 1.500 espécies conhecidas no mundo, somente 25 produz veneno com ação para matar uma pessoa.

Suas cores variam do amarelo palha ao negro total, passando por tons intermediários, como o amarelo-avermelhado, vermelho-amarronzado, marrom e tons de verde ou mesmo de azul. Os Escorpiões se alimentam de grilos, cupins, pequenas aranhas, cigarras e baratas. Portanto, quando o escorpião está presente em um local, provavelmente existe fonte de alimento abundante, ou seja, outras pragas urbanas também estão nesse ambiente.

O veneno do Escorpião contém uma série de substâncias cuja composição química não está bem definida, porém contém neurotoxinas, histaminas, seratonina, enzimas, inibidores de enzimas, e outras. As neurotoxinas agem sobre as células nervosas da presa, com uma certa especificidade, dependendo do tipo de animal.

É interessante saber que a toxicidade do veneno de um escorpião pode ser comparada com o tamanho de seus pedipalpos (o equivalente ao braço humano do escorpião); quanto mais robustos os pedipalpos, menos o escorpião utiliza-se do veneno para com suas presas e quanto menores eles forem, mais o veneno do escorpião pode ser letal às suas presas.

O veneno do Tityus serrulatus (escorpião amarelo), que parece ser o veneno mais tóxico de todos os escorpiões da América do Sul, age sobre o sistema nervoso periférico dos humanos, causando dor, pontadas, aumentando a pulsação cardíaca e diminuindo a temperatura corporal. Estes sintomas, devido ao seu peso corporal, são mais acentuados em crianças, e devido às condições físicas, aos idosos. Todos os escorpiões são venenosos, porém apenas 25 espécies podem ser mortais aos humanos.

Os escorpiões por afetarem a saúde humana são considerados Pragas Urbanas, sendo necessário interferir diretamente em seu ambiente, retirando seu abrigo (entulhos, madeiras, lixos).

Portanto, deve-se evitar o acúmulo de materiais e entulhos, evitar folhagens densas e manter a grama aparada; Promover a telagem de ralos ou qualquer outra vedação para evitar a entrada dos escorpiões dentro das residências; Manejar corretamente o lixo; E sempre que possível examinar roupas e calçados antes de usá-los.

E a cada 6 meses realizar o Controle de Pragas Urbanas como: baratas, cupins, aranhas e formigas, pois são os principais alimentos dos escorpiões nos centros urbanos.

FONTES : www.fiocruz.com.br e www.usp.br/pesquisa